0

Por onde você anda?

Posted in
          Fiquei aqui, há alguns minutos antes de sair correndo de casa por estar atrasada pro curso e você, onde anda? Verdadeiramente ou não, isso pouco me interessa. Estes dias tenho convivido com uma raiva intensa de você, um pensamento e reflexão de como as pessoas podem ser tão ingratas conosco após você ter oferecido seu ombro para chorar, depois que sugou toda a sua beleza e amor que tinha pela vida, depois que fez com que eu ficasse só a sombra do que foi um dia e após ter entregado tudo, pensando no “amanhã”, criando planos, sonhando com coisas bobas que no fundo a gente sabe que um dia vai acabar. Mas ei, e sua vida? Penso sobre você estar usando uma máscara por trás desse toda discrepância e que às vezes pensa em mim antes de dormir. Mas garoto, quem sabe você não está pensando em outra. Não tens muitos motivos para pensar em mim, não fui a melhor das amantes nem tanto das ouvintes e você comprometeu seu futuro todo que teria comigo por contas destas coisas. Não digo que você foi errado, não. Estava bem certo em querer alguém que fosse melhor que eu. Não sou a pessoa que você ainda espera que eu seja. Ainda ouço meu bom e velho rock, faço indiretas pros outros só para ver a reação boba deles e me desapeguei de tudo aquilo que você sempre cobrava de mim.

          Tirei suas fotos do mural que tinha no meu quarto, reorganizei minha vida, mudei os objetos de lugar, exclui as declarações que havia feito a ti, exclui as mais lindas mensagens que sempre deixara no meu celular, modifiquei o nome ‘amor’ para seu próprio nome, pra mim; e estou aqui garoto. Não vou dizer que estou mal e nem que ando precisando de você, muito menos dizer que quero você encontre uma pessoa que seja melhor que eu e que supra todas as necessidades que eu não supri, não, não vou. Que você seja, mas aquilo que você quer ser. Não sei também se quero lhe ver novamente, se qualquer dia desses a gente ainda vai se falar, se eu irei receber uma ligação tua de arrependimento por tudo o que fez. Sei não. Mas que você possa se sair bem na tarefa de viver essa vida que parece inesgotável e que numa hora ou noutra me faz lembrar-se de você com os piores sentimentos.

 
O amor é apenas uma palavra de quatro letras. E que nunca é dita aqui. O amor é apenas uma palavra de quatro letras, aqui nesta prisão. Eu já sofri demais. Eu colocarei um fim nisso, eu juro. Isto, eu juro. O sol brilhará.
 The day that never comes | Metallica


0 comentários:



O que achou da postagem? Comente.
Inscrição por e-mail logo ao lado.

▲ Ir ao topo